11/07/2010

Associação dos Moradores do Conjunto Palmeira – ASMOCONP

Organización: Banco Palmas e Instituto Palmas

O bairro Conjunto Palmeiras, de Fortaleza, tem moeda própria. No local, tudo pode ser adquirido com o «Palma». O dinheiro é alternativo e de uso exclusivo no Banco Palmas, uma instituição de crédito montada pela Associação dos Moradores com o apoio de ONGs.

O Palma foi criado para circular a riqueza dentro do Conjunto Palmeiras. Cada Palma equivale a R$ 1. Os moradores conseguem a moeda com o próprio trabalho ou com empréstimo do banco. «As pessoas adquirem Palmas trabalhando, prestando algum serviço e, com isso, podem comprar em qualquer comércio do bairro», explica Joaquim de Melo Neto, coordenador do Banco Palmas.

O Conjunto Palmeiras, criado há 30 anos, já foi uma favela. Foram os próprios moradores, cerca de 30 mil habitantes, que construíram as casas, as ruas e até a rede de esgoto. O banco foi aberto há seis anos e a renda da população cresceu com o acesso ao crédito. Os moradores, endividados, agora podem fazer empréstimos. Para o dinheiro ficar no bairro, eles recebem e pagam, de preferência, em Palmas. O valor pode ser devolvido em até seis parcelas.

BUSCAR EN BUENAS PRÁCTICAS

Con la colaboración de: