08/10/2010

O Cooperativismo brasileiro em 2009 segundo a OCB

OCB
2010

O cooperativismo brasileiro fechou 2009 mantendo seu processo de amadurecimento, em curso há alguns anos. Comprova este comportamento o aumento de associados (4,62%) e de empregos gerados (7,71%). No mesmo período, houve redução no número de cooperativas (-5,48%). Os indicadores mostraram a dinâmica do cooperativismo e sua visão em buscar alternativas e oportunidades num período pós-crise.

Para mitigar as dificuldades e se fortalecerem, ganhando mercado e escala, cooperativas optaram pelo processo de aglutinação, o que é uma tendência do profissionalismo da gestão. A redução no número de cooperativas reflete esse processo, mas, ao mesmo tempo, como observado em outros setores, indica também as consequências geradas pela crise financeira internacional.

A capacidade de se adequar aos diversos modelos está expressa na variedade de ramos que reduziram em número de cooperativas em 2009 comparado a 2008: Habitacional (-25,59%), Trabalho (- 19,36%) e Consumo (- 7,25%). Quanto ao crescimento do número de associados, vale ressaltar a participação do Ramo Crédito, com o aumento de 8,76%, o que representa um total de praticamente 282 mil novos cooperados. Para o contingente de empregados, registraram maiores percentuais de aumento os ramos Educacional (24,7%), Produção (20,23%) e Saúde (18,20%).

A movimentação econômico-financeira das cooperativas brasileiras chegou ao valor bruto de R$ 88,5 bilhões frente aos R$ 88,73 bilhões de 2008, com uma pequena redução de 0,26%, após três anos consecutivos de alta, reflexo da crise financeira mundial. Praticamente todos os ramos econômicos tiveram crescimento em relação a 2008, apenas o Agropecuário – que representa em torno de 80% do valor global das cooperativas – experimentou uma tímida retração como conseqüência da crise. Chegou ao final do ano com uma redução nos valores exportados de 9,5%, em função do valor das commodities. Mesmo assim, comparado com a evolução do mercado brasileiro, conseguiu um desempenho melhor já que o País retraiu 22,71%.

Principais números do cooperativismo em 2009: Exportações: US$ 3,63 bilhões PIB: 5,39% Faturamento: R$ 88,5 bilhões, 7.261 cooperativas, 8.252.410 milhões associados, 274.190 empregados

BUSCAR EN ESTUDIOS E INVESTIGACIONES

Con la colaboración de: